terça-feira, 24 de julho de 2012

Mitologias luzilandenses - III


Na cidade de Luzilândia (250 km ao Norte de Teresina, 24.721  habitantes)  há uma capelinha dedicada a Luzia, uma trabalhadora rural, assassinada pelo marido ciumento, que, com requintes de crueldade, teria cortado o corpo da esposa em pedaços. É milagreira, tem fama de santa, segundo consta. Muita gente do lugar recorre à alma da finada Luzia Cortada.

foto: Hildengard Meneses Chaves

3 comentários:

  1. - Naquele lugar e lá perto tem “homem do pé de bode”, tem homem que esquarteja mulher e sabe-se lá o que mais…
    Credo, valha-nos José, Maria e Espirito Santo (e na dúvida, mais uns tantos dos outros)!!!
    E ainda assim quer apanhar o trem para lá? Então não vês que é de temer (des)amar por lá?
    Tá doida, só pode mesmo, ou então foi sol a mais que apanhou na moleirinha; tou farta de lhe recomendar que não saia sem o chapéu na cabeça.
    - Até breve que tenho um trem para apanhar, beijos e abraços, U-u-uuuu....U-u-uuuu, pouca-terra...pouca-terra…

    ResponderExcluir
  2. Valdecirio Teles Veras27 de julho de 2012 05:23

    Puxa vida, uma leitora muito especial. Ela é da Moita, Portugal.Minha irmã, por afinidade e nacionalidade. Já navegamos pelo Tejo e caminhamos pelas suas margens. Por isso não estranhem seu desejo de visitar o Piaui e Luzilândia.Ela é de paz e pela paz.
    Mas vamos ao que interessa. Isa, pelo visto, voce leu o texto pelo avesso. O episódio com Luzia Cortada foi apenas uma fatalidade. A verdade verdadeira é outra, é a que está no imaginário, a fantasia.Segundo o mestre Chico Boiba,o povo não inventa, só acrescenta, põe o tempero, a pimenta que falta. Dalila já falou disto. A morte, através do esfaqueamento foi aos poucos recriado para "picadinho" e depois transformou a morta em Santa e milagreira, sem precisar do amém do Vaticano. Pegue-se a ela e muitas graças você alcançará.
    Parodiando Amália Rodrigues ainda " havemos de ir a Viana e a Luzilândia", até rima, inclusive com Luzilândia.
    O evento do homem do pé de bode é mais uma fantasia, provavelmente, do Lucas Celebridade e logo será registrado pelos cordelistas e cantado pela Maria da Inglaterra (esta você conhece) ou pelo Chagas Vele.
    Em tempo - O Ivanildo de Deus já escreveu um livro sobre Maria Cortada e o João Pinto, certamente, incluirá em seu próximo livro.

    ResponderExcluir
  3. E afinal esse trem não anda mais? Será que vou ter que mudar de transporte? Vamo simbora maquinista, ponha esse trem pra correr.
    - Até breve que tenho um trem para apanhar, beijos e abraços, U-u-uuuu....U-u-uuuu, pouca-terra...pouca-terra…

    ResponderExcluir